Oportunidades de bolsas no IFGWConsulte as oportunidades de bolsas de projetos dos docentes do IFGW

Acesso Aberto

Acesso Aberto, Licenças e Políticas editorais

O termo Acesso Aberto, em inglês, Open Access traz consigo a ideia de um novo paradigma para a Comunicação Científica no qual o acesso a literatura científica está livre da maioria das restrições de direitos autorais e licenças de uso. Ou seja, numa situação ideal, na perspectiva do Acesso Aberto, os leitores teriam acesso a literatura científica sem nenhum tipo de restrição. Logo, o Acesso Aberto se contrapõe ao modelo tradicional de comunicação que depende do pagamento de assinaturas para que se tenha acesso ao conteúdo científico publicado em periódicos científicos.

  • Pode ampliar o acesso aos resultados de pesquisas revisadas por pares para pesquisadores em qualquer parte do mundo favorecendo maiores oportunidades de colaboração entre os pesquisadores;
  • Pode aumentar a visibilidade da sua pesquisa fora da comunidade científica. No caso de pesquisas financiadas com recursos públicos, disponibilizar em Acesso Aberto a sua pesquisa é algo que tem sido fomentado e incentivado nas Políticas de Acesso Aberto de Agências de Fomento e instituições públicas em todo o mundo. Essa medida visa maximizar as chances de a sociedade colher os frutos potenciais das descobertas científicas;
  • Pode aumentar as chances de citação dos trabalhos, uma vez que, quanto mais acessível é a pesquisa, mais pessoas poderão ler e citá-las.
  • Pode maximizar as chances de detecção de plágios; os direitos autorais do autor e das instituições são preservados em função da maior visibilidade das publicações.
  • Pode ampliar a visibilidade e reputação das instituições que realizam pesquisas, uma vez que, as descobertas científicas serão amplamente conhecidas por todos e não somente pela comunidade científica.

Você poderá pesquisar no SHERPA RoMEO. O SHERPA RoMEO é um serviço mantido por parceiros internacionais com objetivo de disponibilizar para consulta as políticas de Acesso Aberto dos Editores. Através do SHERPA RoMEO você poderá consultar sobre as permissões de autoarquivamento e condições de direitos dos autores. A pesquisa pode ser realizada por Editor ou por título do periódico.

O Sherpa RoMEO em junho de 2020 mudou seu esquema de classificação de cores para uma classificação iconográfica. Antes da mudança, o tipo de política de autoarquivamento autorizado pelos Editores em acesso aberto era representado pelas cores.

A nova versão do Sherpa Romeo apresenta os dados da política adotada pelos editores através de ícones. Abaixo consulte os principais ícones:

Sherpa RoMEO

Essa tabela faz parte do guia de uso do Sherpa RoMEO. Nela você poderá consultar as principais informações e ícones do Sherpa para entender se poderá realizar o autoarquivamento do seu artigo no repositório institucional.

Esses termos se referem a versão do artigo que você poderá disponibilizar em Acesso Aberto:

  • Preprint/ pré impressão: versão pré-revisão dos árbitros, trata-se do manuscrito original enviado para publicação e avaliação.
  • Postprint/ pós-impressão: versão que pode conter informações adicionais e adaptações sugeridas pós avaliação dos pares, já considerado como manuscrito aceito pelo periódico.
  • Versão/PDF final do Editor/ Publisher’s final version: artigo publicado, conhecida também como versão final do editor, já com o formato de publicação seguindo a formatação e diagramação do periódico.

Importante que você se informe sobre as possibilidades. Os títulos da American Physical Society (APS), de acordo com o SHERPA RoMEO, oferecem luz verde para o autoarquivamento em repositórios institucionais logo após a publicação, sem que seja necessário realizar o pagamento de nenhum tipo de taxa.

Nesse sentido, você poderá optar por títulos de periódicos que sejam mais adequados para publicação da sua pesquisa, que podem não ser, necessariamente, um título exclusivamente de Acesso Aberto ou mesmo um título que precise pagar uma taxa para publicação. O mais importante é que escolha um periódico que possa dar maior evidência a sua pesquisa.

Depende. Se você optar por um título de periódico que possui, por exemplo, a classificação "White/Branco" no SHERPA RoMEO, nenhuma versão do artigo poderá ser disponibilizada em Acesso Aberto em nenhum momento. Contudo, há muitos títulos de periódicos convencionais (acesso via assinatura, não são de Acesso Aberto) que permitem a disponibilização de alguma versão do artigo em Acesso Aberto após um período de embargo. Se tiver dúvidas, consulte o SHERPA RoMEO para verificar se periódico que deseja enviar o artigo dá “luz verde” ao autoarquivamento.

Há também um número crescente de periódicos convencionais, que oferecerem a modalidade Gold Open Access no momento da publicação. Nesses casos, o pesquisador deverá realizar o pagamento da APC (Article Processing Charge/ Taxa de processamento do Artigo). Na Gold Open Access o artigo será disponibilizado em Acesso Aberto imediatamente após a publicação no site do Editor e o autoarquivamento em repositórios institucionais é liberado.

Depende. Atualmente muitas Editoras ou Sociedades científicas que editam periódicos científicos possuem mecanismos para facilitar a disponibilização em Acesso Aberto dos artigos, oferecem “luz verde” ao autoarquivamento permitindo o Acesso Aberto do artigo após o período de embargo (os períodos mais comuns de embargo são: 6 meses, 12 meses e 24 meses).

Existem títulos de Acesso Aberto que não cobram nenhuma taxa para publicação, mas há, contudo, títulos de periódicos de Acesso Aberto e também periódicos convencionais que podem cobrar uma taxa, a chamada APC - Article Processing Charge/ Taxa de processamento do Artigo para que os artigos sejam publicados em Acesso Aberto. As Taxas de processamento de artigos variam de acordo com o periódico. Segue dois exemplos de taxas de processamento para que tenha uma ideia de valores, PLOS ONE (periódico de Acesso Aberto) e da Comunications Physics (periódico de Acesso Aberto do grupo Nature).

Ao enviar seu artigo para publicação e optar por um tipo de modalidade de Acesso Aberto, você poderá ser questionado sobre o tipo de licença que pretende atribuir ao artigo quando disponibilizado no repositório. As licenças mais comuns são as do Creative Commons porque permitem que os usuários possam copiar, distribuir os trabalhos sem que seja necessário solicitar permissão ao autor a cada novo uso. As licenças mais comuns para a modalidade Green Open Access costumam ser a CC BY-NC (Licença Attribution-NoDerivs/Atribuição não comercial) e CC BY-NC-ND (Licença Attribution-NoCommercial-NoDerivs/ Atribuição-SemDerivações-SemDerivados).

Creative Commons, conforme definição disponibilizada no capítulo brasileiro do CC, é uma organização sem fins lucrativos que permite o compartilhamento e uso da criatividade e do conhecimento através de instrumentos jurídicos gratuitos. As licenças CC BY-NC e CC BY-NC-ND são um dos instrumentos jurídicos utilizados para o compartilhamento do conhecimento. A Licença Attribution-NoDerivs/Atribuição não comercial (CC BY-NC) permite o compartilhamento em qualquer formato, adaptações podem ser feitas desde se atribua o devido crédito, não é permitido uso para fins comerciais e a Licença Attribution-NoCommercial-NoDerivs/ Atribuição-SemDerivações-SemDerivados (CC BY-NC-ND) é mais restritiva, permite que as pessoas baixem e compartilhem com outras pessoas desde que atribuam o crédito ao conteúdo, não é permitido qualquer tipo de alteração e não é possível usá-las comercialmente. Outros tipos de licenças podem sem consultadas aqui

Fique atento aos termos da sua concessão ou consulte o site da Agência de Fomento que pretende enviar seu projeto de pesquisa. A FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), por exemplo, possui uma Política para Acesso Aberto às publicações resultantes de auxílios e bolsas FAPESP. A Unicamp ainda não lançou uma Política de Acesso Aberto mas possui seu Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp desde 2013 que permite que os trabalhos publicados pela comunidade da Unicamp sejam disponibilizados em Acesso Aberto quando as políticas editoriais assim permitirem.

Você precisará consultar as permissões de autoarquivamento, através disso você saberá se o seu artigo poderá ser disponibilizado em Acesso Aberto. Para tanto, acesse SHERPA RoMEO ou o Diadorim para periódicos nacionais. Caso tenha dúvida, envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e enviaremos a informação para você.

Há meios de obter documentos em Acesso Aberto de forma segura e dentro da legalidade. Além das redes sociais com perfis de pesquisadores, como ResearchGate, Academia, entre outros. Os repositórios também são uma boa fonte de pesquisa, o DOAJ, o OSF Preprints, o Science Open e o OASIS. Os plug-ins também podem facilitar bastante essa busca, tais como o Google Scholar Button, UnyPayWall, Open Access Button, Kopernio. Essas fontes foram indicadas no artigo "Como sobreviver sem assinar revistas científicas" da Pesquisa Fapesp. Acesse, obtenha outras informações e conheça o caso da Universidade da Califórnia que não renovou as assinaturas com a Elsevier em fevereiro de 2019.

Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp

O Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp, conforme consta no site, é o instrumento oficial para coleta, organização, disseminação e preservação de todo o conhecimento produzido na Universidade. Saiba mais sobre os objetivos clicando aqui. A premissa básica para manutenção do repositório é maximizar as oportunidades de colaboração fora e dentro da universidade, de modo a gerar impacto acadêmico e social em função do consequente aumento do acesso ao conhecimento gerado na universidade.

Se você está ativo e é docente, pesquisador, estudante ou funcionário da Unicamp, as suas publicações deverão estar no Repositório se não houver nenhum tipo de restrição quanto a disponibilização em Acesso Aberto. As Bibliotecas do Sistema de Bibliotecas da Unicamp (SBU) são depositárias de toda produção científica e intelectual da universidade (Resolução GR 13/2015. Nesse sentido, há um esforço das Bibliotecas em compilar e disponibilizar essa produção no Repositório institucional. Você não precisará solicitar para que isso seja feito.

Só será obrigatório o depósito na Biblioteca das novas publicações que tiverem o financiamento da FAPESP por conta da Política de Acesso Aberto da Fundação.

Sim, em algum momento a FAPESP poderá pedir que preste contas sobre o auxílio recebido. Você como bolsista/pesquisador da FAPESP deve atender à Política da Acesso Aberto da FAPESP que prevê que todas as publicações que tiverem auxilio da fundação devam ser disponibilizadas em algum momento em Acesso Aberto no repositório da instituição a qual mantem vínculo. Se precisar fazer o relatório de prestação de contas e informar que o artigo está no Repositório, realize antes o autoarquivamento neste formulário, disponibilizado pelo Sistema de Bibliotecas da UNICAMP. Mais informações aqui

Por gentileza, não deixe para fazer o depósito em cima da hora, o prazo para que o artigo seja incluído no Repositório é de até 3 dias. Caso haja algum atraso na disponibilização das publicações no Repositório, a entrega do seu relatório com a FAPESP pode ser comprometida.

Você pode depositar a versão preprint e a versão final do artigo (PDF final do Editor/Publisher’s final version). O texto completo do artigo somente ficará em acesso aberto no Repositório se as políticas editoriais do periódico permitirem a disponibilização. Do contrário, o acesso ao pdf ficará fechado para o público. Para mais informações, consulte a Instrução Normativa 001/2020 do SBU.

Após sua aprovação e defesa, você deverá fazer o upload da versão final da sua Dissertação ou Tese no SIGA. Nesse momento você deverá optar por deixar o conteúdo do seu trabalho em Acesso Aberto no Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp. A maioria das Dissertações e Teses não exigem um período de embargo (período durante o qual o acesso é restrito), mas você pode optar por isso caso a sua Dissertação ou Tese tenha, por exemplo, gerado uma patente e necessite aguardar até que o processo seja finalizado. Caso não precise desse período de embargo, recomendamos que opte por deixar o trabalho em Acesso Aberto para ampliar a visibilidade da sua pesquisa e também, em certos casos, para atender a Política da Agência de Fomento que financiou sua pesquisa.

Como a Biblioteca poderá te ajudar?

Seu contato com a Biblioteca pode te ajudar a identificar recursos para que melhor se adeque à Política de Acesso Aberto da Fapesp. Podemos assessorá-lo na checagem de permissões de Acesso Aberto dos periódicos, na seleção de títulos para publicação e pesquisa de conteúdos disponíveis em Acesso Aberto. Nos procure também se tiver qualquer dúvida sobre o depósito das suas publicações no Repositório institucional.

Paralelamente a essas possíveis demandas, estamos trabalhando para que suas publicações fiquem em Acesso Aberto. Esperamos que esse acesso possa maximizar as chances do seu trabalho ser conhecido, que novas oportunidades de parcerias aconteçam e que a sociedade possa de algum modo utilizar o conhecimento que foi produzido. Qualquer dúvida, estaremos por aqui! Mas esteja certo, suas escolhas podem fazer diferença!

E-mail para contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Política de Acesso Aberto FAPESP

Não há uma obrigatoriedade de que o bolsista/pesquisador FAPESP publique em um periódico de Acesso Aberto. O que a Política da FAPESP recomenda é que sejam exploradas todas as oportunidades disponíveis que viabilize o Acesso Aberto no repositório institucional ao trabalho que obteve financiamento da fundação. Para a FAPESP, essa disponibilização em Acesso Aberto pode acontecer imediatamente a sua publicação ou de acordo com a política editorial do periódico (após o período de embargo). Nesse último caso, esse prazo pode variar de acordo com a política editorial do periódico. Ou seja, muitos títulos que dão "luz verde" ao autoarquivamento em repositórios já atenderiam a Política de Acesso Aberto da FAPESP. Mais informações, consulte a Política de Acesso Aberto da FAPESP

No momento de enviar a sua pesquisa para o periódico opte por condições que permitam que seu artigo possa ser disponibilizado no Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp. Essa informação deve estar presente nos termos de concessão de direitos autorais no momento do envio do seu artigo ao Editor. Você poderá pesquisar no SHERPA RoMEO ou Diadorim, sobre as políticas de copyright e de autoarquivamento de editores. Se por exemplo, o periódico escolhido para enviar sua pesquisa permite o depósito e Acesso Aberto do artigo no repositório institucional após 12 meses (tempo de embargo), esse periódico oferece “luz verde” ao autoarquivamento. Logo, você estará de acordo com a Política de Acesso Aberto da FAPESP. Vale ressaltar que o depósito deve ser feito no repositório institucional da Unicamp, divulgar o artigo, mesmo que seguindo as políticas de copyright em sites de redes acadêmicas como ResearchGate, Academi.edu, Mendeley ou outros tipos de repositórios como o ArXiv ou HEPData por exemplo, não atendem as exigências da Política de Acesso Aberto da Fapesp. Muito confuso? Ainda com dúvida? Nos procure na Biblioteca.

Se você é um bolsista/pesquisador FAPESP terá que se adequar à Política de Acesso Aberto de modo que a pesquisa que teve financiamento da Fundação esteja em Acesso Aberto em algum momento. Caso a Biblioteca não coloque o seu artigo no Repositório da UNICAMP, em algum momento você terá que realizar o depósito no repositório institucional das publicações originadas dessa pesquisa. O depósito deve ser feito através da Biblioteca. O depósito e a disponibilização das publicações no repositório possivelmente fará parte do seu relatório junto a FAPESP. Não deixe para realizar o depósito tão perto da entrega do seu relatório. Precisamos de um tempo para disponibilizar as publicações no repositório. Está sendo providenciado pelo Sistema de Bibliotecas da Unicamp uma via única de envio dos artigos. Manteremos você informado. Enquanto isso não acontece, nos procure na Biblioteca ou nos envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fontes consultadas

Barata, Germana. Acesso aberto como política científica institucional. Jornal da Unicamp. Disponível em: <https://www.unicamp.br/unicamp/ju/artigos/germana-barata/acesso-aberto-como-politica-cientifica-institucional>. Acesso em: 10 set. 2019.


Brito Cruz, C. H. FAPESP: Política de Acesso Aberto à ciência em São Paulo. Disponível em: <https://www.prp.unicamp.br/sites/default/files/2019/sapp/fapesp-acesso_aberto.pdf>. Acesso em: 10 set. 2019.


CORNELL UNIVERSITY LIBRARY. Open access publishing: what is open access? Disponível em: <https://guides.library.cornell.edu/openaccess>. Acesso em: 10 set. 2019.


Castro, Fabio de. Acesso Aberto avança na Europa, mas taxa de publicação aflige brasileiros. Direito da Ciência. 25.09.2018. Disponível em: <http://www.diretodaciencia.com/2018/09/25/acesso-aberto-avanca-na-europa-mas-taxa-de-publicacao-aflige-brasileiros/>. Acesso em: 10 set. 2019.


DURHAM UNIVERSITY. What is open access? Disponível em: <https://www.dur.ac.uk/research.innovation/outputs/openaccess/whatisoa/>. Acesso em: 10 set. 2019.


FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Anexo 1: Política para Acesso Aberto às publicações resultantes de auxílios e bolsas. Disponível em: <http://www.fapesp.br/12592>. Acesso em: 10 set. 2019.


Gumieiro, Katiúcia Araújo. Modelos de negócios para periódicos eletrônicos de Acesso Aberto. Dissertação. 2009. 157f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Universidade de Brasília. Brasília, 2009.


Harnad, Stevan. The Green and Gold Roads to Open Access. In: AMERICAN Scientist Open Access Forum. 10 Apr. 2004. Disponível em: <https://www.southampton.ac.uk/~harnad/Hypermail/Amsci/3662.html#options2>. Acesso em: 09 out. 2019.


HARVARD LIBRARY. Open access policies. Disponível em: <https://osc.hul.harvard.edu/policies/>. Acesso em: 10 set. 2019.


Marques, F. Como sobreviver sem assinar revistas científicas. Pesquisa FAPESP, ano 20, n.278, abril, 2019. Disponível em: <https://revistapesquisa.fapesp.br/2019/04/15/como-sobreviver-sem-assinar-revistas-cientificas/>. Acesso em: 17 set. 2019.


SCHOLARLY PUBLISHING AND ACADEMIC RESOURCES COALITION. HowOpenIsIt? A guide for evaluating the openness of journals. Disponível em: <https://sparcopen.org/our-work/howopenisit>. Acesso em: 10 set. 2019.


SCHOLARLY PUBLISHING AND ACADEMIC RESOURCES COALITION EUROPE. What we do. Disponível em: <https://sparceurope.org/what-we-do/open-access>. Acesso em: 10 set. 2019.


SUBER, P. Open access. Cambridge: Massachusetts Institute of Technology, 2012.


SUBER, P. Open access overview: focusing on open access to peer-reviewed research articles and their preprints. Disponível em: <http://legacy.earlham.edu/~peters/fos/overview.htm>. Acesso em: 10 set. 2019.


UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Repositório da Produção Científica e Intelectual da Unicamp. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br>. Acesso em: 17 set. 2019.


UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SÃO PAULO. SISTEMA DE BIBLIOTECAS. Como cumprir a política de Acesso Aberto da FAPESP. Disponível em: <http://www.sibi.usp.br/noticias/como-cumprir-a-politica-de-acesso-aberto-da-fapesp/>. Acesso em: 17 set. 2019.

  • Todos(as)
  • Doutorado
  • Doutorado Direto
  • Mestrado
  • Pos Doutorado