Professores do IFGW participam em artigo publicado na revista Journal of Materials Chemistry B

O artigo “Hybrid magneto-luminescent iron oxide nanocubes functionalized with europium complexes: synthesis, hemolytic properties and protein corona formation”. L. S. da Costa, L. U. Khan, L. S. Franqui, F. de Souza Delite,  D. Muraca,  D. Stéfani Teodoro Martinez and  M. Knobel. Journal of Materials Chemistry B, 2021, 9, 428 foi selecionado como um dos trabalhos notáveis publicados durante os últimos anos no Journal of Materials Chemistry B e Materials Advances que abordam a área extremamente ampla de materiais híbridos. Segundo os editores, os artigos selecionados nessa temática fornecem percepções e perspectivas fascinantes em relação à imagem multifuncional, entrega de drogas, detecção, engenharia de tecidos e regeneração de tecidos e semicondutores nanoestruturados

(https://pubs.rsc.org/en/journals/articlecollectionlanding?sercode=tb&themeid=30913dc1-47c5-4366-a8c7-8cd73f2fcba1).

 

No artigo “Hybrid magneto-luminescent iron oxide nanocubes functionalized with europium complexes: synthesis, hemolytic properties and protein corona formation”  (https://pubs.rsc.org/en/content/articlelanding/2020/tb/d0tb02454f#!divAbstract ) foi realizada a síntese e caracterização físico-química de nanoestruturas magnético-luminescentes com alto controle de morfologia e tamanho. O uso de nanoestruturas híbridas baseadas em propriedades magneto-luminescentes é uma estratégia promissora para aplicações biomédicas e plataformas teranósticas. Neste trabalho, buscou-se utilizar rotas de síntese de nanoestruturas nas quais fosse possível produzir materiais híbridos com design e estruturas controladas. Neste caso, em uma única estrutura, foram combinadas as propriedades magnéticas a partir da síntese de nanocubos de óxido de ferro (IONCs) juntamente com as propriedades luminescentes de compostos a base de terras raras.

 

A funcionalização da superfície com íons európio (Eu3+), só foi possível uma etapa intermediaria de revestimento dos IONCs com sílica (SiO2) que permitiu que a estrutura pudesse ser manipulada em meio aquoso e ancoramento da espécie luminescente. As análises de microscopias eletrônica de transmissão obtidas no modo varredura aliada ao mapeamento composicional por EDX, mostraram que cada domínio é homogeneamente ocupado dentro do material híbrido, com o núcleo magnético no centro e o domínio luminescente na superfície do nanomaterial híbrido com uma estrutura do tipo núcleo-casca.

 

O Dr. Luelc S Costa, bolsista de pos-doutorado CNPq pelo IFGW, com bastante experiência na síntese de nanoestruturas com design-controlado, contou com a supervisão do professor Marcelo Knobel e colaboração do professor Diego Muraca para caracterização das propriedades do material híbrido. Contou também com a coorientação do Dr. Diego Stéfani Teodoro Martinez, Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) no Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), onde ocorreu boa parte das etapas de síntese e caracterização.

 

Os autores agradecem o apoio financeiro da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES, Brasil), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq, Brasil) e Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO). Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP, Brasil). Os autores também agradecem às instalações abertas do CNPEM (TEM, XPS e Nanotox).